Grande parte das tendências no mercado de saúde para 2017 tem a ver com a tecnologia.Serviços como a telemedicina – ou a capacidade de atendimento em qualquer localidade – vieram para ficar em consultórios médicos e hospitais.

Outras mudanças, como a desospitalização (movimento que incentiva tempo de internação menor oferecendo suporte para continuidade do tratamento em casa), comprovam que este será um ano de renovação na área. Vejamos quatro mudanças importantes na área da saúde em 2017.

4 tendências no mercado de saúde para 2017

O mundo vem se modificando muito rapidamente e precisamos nos integrar a estas mudanças o quanto antes. A área da saúde é a que mais necessita desses avanços tecnológicos.

Sabemos que muitas coisas se modificam e se modernizam a cada ano, e a medicina deve acompanhar as exigências do mundo voltado para a tecnologia. Saiba agora quatro tendências no mercado de saúde para 2017:

1) Uso de dispositivos móveis cada vez maior

Os celulares do tipo smartphone estão hoje ao alcance de todos. Com a grande utilização destes aparelhos, o seu uso também na área médica tem revolucionado o atendimento.

Por meio desses dispositivos, um paciente pode acessar suas informações, históricos de saúde, tratamentos e laudos médicos de qualquer lugar que tenha acesso à internet. Essa é uma das muitas vantagens da digitalização de exames e disposição de dados online.

Desta forma, os dispositivos móveis serão o principal meio de uso de pacientes e profissionais de saúde para ter sempre os dados de seus pacientes à mão, onde estiverem.

2) Desospitalização

A desospitalização prega a alta hospitalar e promove o tratamento contínuo em casa, diminuindo o tempo de internação de forma segura.  

Isso é possível graças à tecnologia, com seus sistemas de monitoramento remoto que ajudam médicos a obter os dados de seus pacientes que estejam se recuperando de uma cirurgia ou tratamento, por exemplo, e que podem ser atendidos sem a necessidade da internação hospitalar.

3) Telemedicina

Troca de informações entre médicos, pacientes, e outros profissionais de saúde de forma remota, quando a distância pode ser um impedimento para consultas e tratamentos.

É muito importante para que pessoas de qualquer localidade possam ter acesso a serviços de saúde de qualidade, que somente estavam disponíveis nos centros urbanos.

Dessa forma, a telemedicina pode ultrapassar barreiras econômicas, sociais, culturais e, principalmente, geográficas. Assim, a população pode não apenas se informar melhor sobre sua saúde, mas obter atendimento real, com diagnósticos e tratamentos de doenças mesmo à distância.

4) Coleta e gestão eficiente de grandes volumes de dados

Devido à grande demanda, não existe mais lugar para ineficiência na área de saúde. Coleta e retenção de dados são essenciais para empresas de quaisquer segmentos.

Ter uma base de dados moderna e atualizada, com os melhores recursos tecnológicos, permite que sejam coletados e analisados grandes volumes de informações diferentes, melhorando os insights que ajudam nas pesquisas sobre os consumidores da área médica.

Em 2017, vai haver a necessidade de levantar dados de forma personalizada, o que ajuda a modernizar os sistemas de coleta e gerenciamento de informações que os médicos desejem mencionar, mas que não estejam englobadas nas categorias que já existem nesses bancos.

Por melhorar os sistemas antigos de armazenamento de dados e substituí-los por ferramentas mais modernas de gestão, haverá um avanço nos métodos dos sistemas de saúde e, consequentemente, a melhora do tratamento de cada paciente.

Como vimos, em 2017 o mercado de saúde vai ser bastante movimentado no que se refere à otimização de processos. Com isso, o uso das novas tecnologias será ainda maior. Para que as empresas de saúde possam acompanhar as tendências, precisam contar com o que há de melhor em ferramentas de gestão.

Gostaria de receber mais conteúdos como este no seu feed de notícias? Então siga-nos nas redes sociais e não perca nenhuma novidade!

 

Facebook Comments