Acompanhando o crescimento da atividade industrial e os avanços nas leis trabalhistas, a medicina do trabalho é uma área em expansão no país. Trata-se de uma especialidade da medicina com atuação direta na relação entre o trabalhador e a empresa contratante, servindo de garantia para os dois lados.

Embora esteja crescendo em importância, ainda há carência de clínicas no mercado, abrindo grandes oportunidades para empreender nesse setor. No entanto, é preciso estar atento a alguns detalhes e necessidades específicas desse tipo de negócio.

Pensando nisso, reunimos neste post os primeiros passos para você montar sua clínica de medicina do trabalho. Confira!

Fazer um plano de negócios e de marketing

O plano de negócios deve abordar questões como a competência dos gestores, os serviços oferecidos, diferenciais que tornam sua clínica a melhor opção, além de aspectos econômicos e financeiros. Dentre os quais podemos citar orçamento, custos, metas de faturamento, previsão de lucro e despesas fixas.

Já o plano de marketing deve conter as principais estratégias de divulgação da sua clínica, sem esquecer que a melhor propaganda é o próprio paciente quem faz. Por isso, investir em excelência no atendimento é uma boa opção. Além disso, atualmente, não podemos descartar as ações de marketing de conteúdo digital, por meio de perfis nas redes sociais e  site e/ou blog da própria empresa.

Vale dizer, que a propaganda na área de saúde tem as suas peculiaridades e deve respeitar as regras estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina no Manual de Publicidade Médica.

Analisar o mercado de medicina do trabalho

Outra ação prévia fundamental para quem vai abrir um negócio é estudar, cuidadosamente, o mercado. Em se tratando de clínicas de saúde ocupacional é importante analisar:

  • densidade populacional;
  • grau de industrialização;
  • nível socioeconômico e cultural;
  • pesquisa da concorrência e de fornecedores.

Escolha do local

Após levantamento dessas informações será possível escolher melhor a localização. Para facilitar o acesso dos trabalhadores é importante a clínica que seja próxima a um grande centro comercial e/ou industrial, bem como aos transportes públicos.

Adequar-se aos quesitos legais e sanitaristas

Antes de abrir as portas para funcionamento, é indispensável tirar as licenças e alvarás necessários, junto aos órgãos competentes — como Prefeitura Municipal e Vigilância Sanitária. Para isso, as dependências do estabelecimento deverão atender aos requisitos sanitários específicos.

Uma clínica de medicina do trabalho deve prestar exames multidisciplinares, oferecendo conforto, segurança e privacidade aos pacientes. Além de contar com profissionais aptos a realizar perícias ocupacionais externas.

Organizar a estrutura e o funcionamento

Definido o local e acertadas as questões legais, é a hora de planejar e organizar a estrutura física e operacional.

Estrutura

O espaço deve ser proporcional à demanda de trabalhadores do mercado e à complexidade dos serviços a serem oferecidos, conforme estabelecido no plano de negócios. No entanto, alguns detalhes devem ser considerados:

  • possibilidade de expansão;
  • ventilação;
  • conforto acústico
  • atenção ao fluxo de pacientes
  • acessibilidade
  • esterilização;

Equipe

É importantíssimo treinar todos os profissionais contratados, incluindo os das áreas de recepção, limpeza, serviços gerais e administrativos e de saúde — técnicos, enfermeiras e médicos. A qualificação aumenta o comprometimento, reduz custos e melhora o rendimento.

Equipamentos

Assim como o espaço, os equipamentos necessários serão definidos de acordo com os serviços prestados na clínica, de forma geral, são eles:

  • de apoio e administração — computadores, móveis, ar-condicionado e outros;
  • de manipulação e aferição — estetoscópio, balança, aparelho de pressão, endoscópios, etc;
  • móveis hospitalares — macas, camas, mesas para exames, cadeiras de rodas;
  • para diagnóstico — raio-X, tomógrafos, eletros, ressonância, microscópios e mais.

Processos de atendimento e administração

Informatizar processos é uma forma de otimizar o tempo e garantir mais eficiência no dia a dia. Além dos softwares habituais, clínicas dessa categoria podem contar com a telemedicina. Com ela, os exames são realizados por técnicos de enfermagem e os laudos são emitidos à distância, eliminando a necessidade de contratação de médicos especialistas e reduzindo custos.

Embora, montar uma clínica de medicina do trabalho se assemelhe a abrir outros estabelecimentos de saúde, para prosperar é preciso estar atento a uma série de peculiaridades características do setor.

Quer saber mais sobre este assunto? Leia nosso artigo O que é CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde)?