O exame MAPA é uma das análises mais conhecidas nas clínicas médicas brasileiras, sendo frequentemente solicitado por um médico cardiologista para acompanhamento clínico de pacientes com suspeita ou histórico de hipertensão arterial. Entretanto, nem todos o conhecem com fidelidade ou sabem da real importância de fazê-lo regularmente.

A monitoração ambulatorial da pressão arterial, como o próprio nome faz entender, realiza um monitoramento dos níveis de pressão arterial de um paciente durante as suas atividades diárias. Por conta disso é que a análise precisa ser feita durante 24 horas.

Neste artigo, separamos as principais informações que você precisa saber sobre o exame MAPA e, assim, poderá entender melhor como essa análise funciona e tirar suas dúvidas. Veja!

Qual é a finalidade desse tipo de estudo?

A pressão arterial sofre diversas variações ao longo do dia, inclusive alterações em resposta a determinadas circunstâncias, como estresse e cansaço. Dessa maneira, a medição momentânea realizada no consultório oferece ao médico uma visão limitada do quadro.

Quando um médico solicita a realização dessa análise a um paciente, provavelmente ele já desconfia, ou sabe, que há grandes chances de que aquela pessoa tenha oscilações preocupantes na pressão arterial.

Depois de constatar a pressão alta no método convencional de medida e também com o acompanhamento e tratamento, o exame MAPA é solicitado por um médico cardiologista especializado para os diagnósticos precisos.

Apenas com a monitoria frequente ao longo de 24 horas é possível analisar o comportamento da pressão arterial durante os eventos cotidianos e, assim, aprofundar o diagnóstico ou mesmo avaliar a eficácia do tratamento.

Por essa razão, o MAPA foi incorporado à prática clínica de cardiologistas, na avaliação e tratamento de problemas de pressão arterial.

Para quem e quando ele é indicado?

Como já vimos, trata-se de um exame indicado rotineiramente para pacientes com suspeita de variação de pressão arterial ou mesmo para aqueles que já estão em tratamento.

No entanto, o MAPA é especialmente indicado nos casos em que, por qualquer razão, há suspeita de que os valores medidos no consultório não refletem a realidade do dia a dia — hipertensão do jaleco branco. Ou ainda, quando há necessidade de estudar o caso com mais profundidade, como observar a relação entre os sintomas e a pressão, por exemplo.

Além disso, o exame pode auxiliar o médico nos diagnósticos diferenciais, como a hipertensão episódica, mascarada ou resistente ao tratamento. E também na avaliação de sintomas relativos à pressão baixa — hipotensão.

Contraindicações

O exame quase não causa desconforto e interfere pouco nas atividades cotidianas. Entretanto, é contraindicado para pacientes cujos valores da pressão máxima sejam muito elevados, que apresentem arritmias cardíacas ou parkinsonismo.

Como funciona o exame MAPA para o paciente?

Assim como no Holter, o paciente ficará com um mini-gravador digital acoplado à cintura. Com a guia médica em mãos e depois de agendada a visita na clínica, o paciente receberá uma braçadeira que deve, preferencialmente, ficar no braço menos utilizado. Ela estará ligada a um aparelho eletrônico que será responsável por registrar os níveis de pressão arterial.

O equipamento pode ser preso ao cinto ou ficar no bolso, desde que com cuidado. Também será entregue um diário de atividades.

Durante 24 horas, de tempos em tempos a braçadeira inflará e medirá a pressão arterial naquele momento. O paciente deverá anotar no diário as principais atividades do dia e, caso faça uso de algum medicamento, é importante que registre os horários da ingestão para que sejam avaliadas possíveis alterações no resultado da análise.

Após o período exigido, basta que o paciente retorne à clínica e devolva o equipamento do exame.

Quais são os preparos necessários?

Trata-se de um exame simples que não envolve nenhum procedimento invasivo, apenas o monitoramento da pressão. Por isso, não é necessária uma dieta especial ou ingestão de medicamentos ou contrastes. No entanto, antes do exame, é indicada atenção a alguns pontos.

Exercícios físicos

A prática de atividade física deve ser suspensa nas 24 horas que antecedem o exame e, também, durante o processo.

Banho

Como não será possível se molhar enquanto estiver usando o aparelho, aproveite para tomar um banho o mais próximo possível da hora do exame.

Roupas

O ideal é usar peças confortáveis, como camisas de mangas curtas e largas. Para os homens, as blusas abotoadas na frente facilitam a colocação do gravador. Já as mulheres devem evitar vestidos, preferindo saia ou calça e blusa. Além disso, um cinto pode ajudar a fixar o aparelho na cintura.

Medicamentos

Se o paciente já faz uso de alguma medicação para pressão, é necessário fazer uma relação com doses e horários para ser entregue ao médico que fará o laudo.

Trabalho e atividades regulares

Como o objetivo é monitorar as alterações de pressão ao longo da rotina do paciente, é importante que o exame seja marcado para um dia comum, em que sejam praticadas as atividades normais, como trabalhar, ir ao mercado, cozinhar, estudar, etc.

Que tipo de cuidado o paciente deve ter?

Como o objetivo do exame MAPA é registrar os níveis de pressão arterial de um paciente em suas atividades rotineiras, é interessante que ele tente mantê-las como em um dia comum. No entanto, como o ideal é que, quando o aparelho apitar, no momento exato da medição o braço seja apoiado e esticado, haverá limitações.

Além disso, deve haver certo cuidado com o equipamento eletrônico e, por isso, é importante que se tenha atenção a alguns pontos:

  • não molhar o aparelho eletrônico;
  • não praticar atividades físicas;
  • cuidar para que o tubo da braçadeira não seja danificado;
  • nunca retirar o manguito ou desligar o aparelho;
  • retirar o dispositivo da cintura durante a noite, colocando-o sob o travesseiro ou em um móvel próximo à cama;
  • evitar dormir sobre o braço em que está o manguito;
  • perceber o bom funcionamento do equipamento.

O exame MAPA é de grande relevância no diagnóstico e tratamento da hipertensão arterial. Com o laudo médico em mãos, o cardiologista poderá indicar para o paciente o tipo de tratamento mais apropriado para o caso, além de fazer ajustes na dosagem ou troca da medicação, recomendar ou advertir sobre exercícios físicos e outros hábitos. Sempre que necessário, ele poderá pedir uma nova análise para verificar o avanço do tratamento.

Viu só? O exame MAPA tem grande importância na saúde da população e é essencial para o diagnóstico de pressão alta. Se você tiver ficado com qualquer tipo de dúvida sobre o assunto, deixe nos comentários que teremos grande prazer em ajudar!