O eletroencefalograma (EEG), também conhecido como eletroencefalografia, é o exame que avalia a atividade elétrica do cérebro. O procedimento é feito de forma simples e rápida, no entanto, é necessário alguns cuidados durante o processo para que o resultado não seja afetado.

Por isso, reunimos informações importantes sobre como realizar o eletroencefalograma em seus pacientes de forma segura e eficaz.

Saiba como preparar o paciente para o exame

Realizado de maneira simples, sem contraindicações e de forma indolor, o eletroencefalograma pode ser feito em pessoas de todas as idades.

É importante frisar que os cuidados que merecem mais atenção são em relação aos ferimentos e lesões presentes no couro cabeludo ou, até mesmo, grandes ferimentos na região. Nesse caso, é necessário tratar o problema e depois realizar o procedimento.

A preparação para o exame exige que o paciente siga algumas recomendações que farão com que o processo seja realizado de maneira segura e assertiva. Veja:

  • Peça para que ele lave bem os cabelos e que estejam bem secos no dia do exame. O fios também devem estar livres de quaisquer produtos capilares como, por exemplo, gel, laquê, tinturas, entre outros;

  • Caso faça uso de algum medicamento contínuo, será necessário suspendê-lo;

  • Para que certos tipos de atividades cerebrais possam ser avaliadas, o paciente deverá dormir menos do que o normal. Por isso, oriente-o a ter entre quatro e cinco horas de sono;

  • Em casos de crianças, evite que a mesma cochile antes do exame. É importante frisar que, nesse caso, as pessoas que estejam privadas do sono não poderão dirigir, com isso, indica-se um familiar para acompanhá-las;

  • Não existe nenhuma restrição alimentar para que o eletroencefalograma seja feito, contudo, indica-se evitar ingerir alimentos ou bebidas à base de cafeína nas doze horas que antecedem o teste.

Veja como realizar o exame com o paciente

Existem duas formas de realizar o exame: com o paciente acordado e sentado em uma poltrona ou deitado em um ambiente totalmente escuro. A partir daí, são colocados eletrodos em diversos locais do couro cabeludo com a ajuda de uma pasta condutora que os mantêm fixos e captam os impulsos elétricos do cérebro.

Esses eletrodos são ligados fio a fio por um aparelho de gravação. Esse instrumento muda todos os sinais elétricos em padrões que podem ser visualizados como ondulações.

Durante o eletroencefalograma, pode ser solicitado que alguns pacientes respirem de forma rápida e intensa por alguns minutos, observem uma luz brilhante por alguns instantes e abram e fechem os olhos para estimularem determinadas atividades cerebrais.

Ao realizar a eletroencefalografia em crianças muito agitadas, é necessário a sedação nas mesmas. Então, o registro é feito durante o sono induzido e, ao final, ela é despertada. Terminado o exame, retire os eletrodos e os resquícios de gel, — o procedimento leva, em média, entre uma e duas horas, mas o tempo mínimo é de vinte minutos.

Orientações para um eletroencefalograma perfeito

Para reduzir interferências internas, tire o cabo do carregador do notebook no momento de registrar o exame. É extremamente importante que o ambiente seja climatizado, porém, desligue o ar-condicionado durante o procedimento e peça ao paciente vá bem alimentado.

O eletroencefalograma, além de ser seguro e eficiente, não envolve risco e não produz efeitos colaterais. Os resultados saem de forma rápida e, quando necessário, é preciso solicitar outros exames.

Agora que você já sabe como realizar o eletroencefalograma, compartilhe esse post em suas redes sociais para que mais pessoas também possam aprender.